quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Confissões de uma garota qualquer














Uma hora um caFé e um livro, refúgio necessário no dia. Um tempo só, apenas só. 
Ás vezes o barulho do convívio atrapalha o olhar silencioso e necessário que deve-se ter para si.
Leio, penso e reflito, ás vezes sobre nada, ás vezes sobre tudo. O que importa é esse tempo, só meu. Só eu e a oportunidade de escrever, de apenas rabiscar, e quem sabe criar um poema, um verso...
Qualquer coisa que transforme o barulho da mente em algo concreto, algo bonito, em algo.
Uma hora sozinha pode parecer pouco, mas é muito!
É o bastante para mim a cada dia, não que eu esteja perdida, não que eu esteja com problemas, mas me ajuda a pôr a cabeça no lugar para encarar certas coisas.
É muito gostoso ter um tempo só meu e fazer o que quiser com ele, a felicidade também está nisso.
Me revigoro para voltar pro convívio e ser forte mais uma vez. E não deixar a peteca cair e continuar bem comigo mesma, e apenas continuar.